sábado, 28 de fevereiro de 2015

JULIETA


Julieta -


Julie Jacobs e sua irmã gêmea, Janice, nasceram em Siena, na Itália, mas desde os 3 anos foram criadas nos Estados Unidos por sua tia-avó Rose, que as adotou depois de seus pais morrerem num acidente de carro.

Passados mais de 20 anos, a morte de Rose transforma completamente a vida de Julie. Enquanto sua irmã herda a casa da tia, para ela restam apenas uma carta e uma revelação surpreendente: seu verdadeiro nome é Giulietta Tolomei.

A carta diz que sua mãe havia descoberto um tesouro familiar, muito antigo e misterioso. Mesmo acreditando que sua busca será infrutífera, Julie parte para Siena.

Seus temores se confirmam ao ver que tudo o que sua mãe deixou foram papéis velhos – um caderno com diversos esboços de uma única escultura, uma antiga edição de Romeu e Julieta e o velho diário de um famoso pintor italiano, Maestro Ambrogio. Mas logo ela descobre que a caça ao tesouro está apenas começando.

O diário conta uma história trágica: há mais de 600 anos, dois jovens amantes, Giulietta Tolomei e Romeo Marescotti, morreram vítimas do ódio irreconciliável entre os Tolomei e os Salimbeni. Desde então, uma terrível maldição persegue essas duas famílias.

E, levando-se em conta a linhagem e o nome de batismo de Julie, ela provavelmente é a próxima vítima. Tentando quebrar a maldição, ela começa a explorar a cidade e a se relacionar com os sienenses. À medida que se aproxima da verdade, sua vida corre cada vez mais perigo.

Instigante, repleto de romance, suspense e reviravoltas, Julieta – livro de estreia de Anne Fortier – nos leva a uma deliciosa viagem a duas Sienas: a de 1340 e a de hoje. É a história de uma lenda de mais de 600 anos que atravessou os séculos e foi imortalizada por Shakespeare. Mas é também a história de uma mulher moderna, que descobre suas origens, sua identidade e um sentimento devastador e completamente novo para ela: o amor.

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

TRILOGIA CAVALEIRO DE BRONZE



O Grande Amor da minha vida


Capítulo Um


A manhã entrou pela janela, enchendo o quarto de luz. Tatiana Metanova dormia o sono dos inocentes, o sono da alegria agitada, das noites quentes e brancas de Leninegrado, do junho jasmim. Inebriada pela vida, dormia sobretudo o sono exuberante da juventude intrépida.
Não dormiu muito mais.
Quando os raios de sol atravessaram o quarto e pousaram aos pés da sua cama, cobriu a cabeça com o lençol, tentando esconder-se da luz do dia. A porta abriu-se e ouviu o chão ranger uma vez. Era sua irmã, Dasha.
Daria, Dasha, Dashenka, Dashka.
Representava tudo o que Tatiana amava.
Naquele momento, porém, a única coisa de que tinha vontade era de se a esganar. Dasha tentava acordá-la e, infelizmente, estava a conseguir. As suas mãos vigorosas abanavam-na enquanto a voz, normalmente harmoniosa, parecia esganiçada:
- Psst! Tania! Acorda. Acorda!
Tatiana gemeu. Dasha puxou-lhe o lençol.
A diferença de sete anos que tinham uma da outra era mais evidente agora, quando Tatiana queria dormir e Dasha estava a...
- Para! – resmungou Tatiana, procurando desesperadamente o lençol atrás de si e tapando-se de novo. – Não vês que estou a dormir? Pensas que és minha mãe?
A porta abriu-se outra vez. Dois rangidos no soalho. Era mesmo a mãe.
- Tania, queres acordar? Levana-te imediatamente.
Não podia dizer que a voz da mãe fosse harmoniosa. Irina Metanova não tinha nada de suave. Era baixa, barulhenta e cheia de uma energia indignada e transbordante. Trazia um lenço atado à cabeça, porque provavelmente já andara de joelhos a lavar o chão da casa de banho comum com o seu vestido azul de verão. Parecia descomposta e com o domingo estragado.
- O que foi, mãezinha? – perguntou Tatiana, sem levantar da almofada.
O cabelo da Dasha tocou-lhe nas costas. Tinha a mão na sua perna e inclinou-se como se fosse beijá-la. Tatiana sentiu uma ternura momentânea, mas antes de Dasha poder dizer fosse o que fosse, a voz ríspida da mãe fez-se ouvir de novo: - Levante-se depressa. Vão fazer um comunicado importante na rádio daqui a uns minutos.
- Onde estiveste ontem à noite? – segredou Tatiana a Dasha. – Já era de madrugada quando chegaste.
- E eu tenho culpa de que ontem a madrugada tenha sido à meia-noite? – murmurou Dasha com prazer. – Cheguei à meia-noite, uma hora perfeitamente respeitável. – Fazendo um sorriso aberto: - Dormias como uma pedra.
                                                   

Tatiana e Alexander
 (anos 30)
Capítulo Um

Boston, Dezembro de 1930.
De pé em frente ao espelho, Alexander Barrington ajustava o lenço dos escoteiros. Melhor dizendo, tentava ajeitar, mas não conseguia desviar os olhos de seu rosto incrivelmente sério. Com a boca curvada em uma careta de tristeza, suas mãos forçavam o lenço branco e cinza, incapaz, precisamente nesse dia de cumprir bem a tarefa. Alexander se afastou uns passos, contemplou a pequena habitação e suspirou. Não havia muito que ver: um chão de madeira, um papel amassado pintado com imagens de galhos, uma cama e uma mesa de cabeceira.
A Alexander não importava porque aquele era só um quarto alugado e todos os móveis pertenciam a dona da casa, que vivia no andar de baixo. A verdadeira casa de Alexander não era em Boston e sim em Barrington; e nela se sentia muito confortável, mas em nenhum outro lugar havia sentido o mesmo. E havia morado em seis casas diferentes nos últimos dois anos, desde que seu pai havia vendido a mansão familiar e decidido sair de Barrington, afastando Alexander de sua terra natal e de sua infância.
Agora estava a ponto de deixar também aquela casa, mas a Alexander não importava, ou melhor, não era o que importava. Alexander se virou outra vez para o espelho e não gostou da expressão de tristeza do menino que lhe devolvia o olhar. Apoiou a testa no cristal e deu um profundo suspiro. − E agora? − se perguntou em um sussurro. Teddy, seu melhor amigo, pensava que ir viver em outro país era a aventura mais emocionante do mundo. Alexander não poderia estar em mais desacordo.
Ouviu seus pais gritarem através da porta entre aberta; não fez caso, já estava acostumado a ouvi-los discutindo em momentos de tensão. Depois de um tempo a porta se abriu aos poucos e Harold Barrington, o pai de Alexander, entrou no quarto.
−Está pronto filho? O carro está nos esperando embaixo. E teus amigos vieram dizer adeus. Teddy me perguntou se não queria levar ele em vez de você−. Harold sorriu − disse a ele que talvez. O que você acha Alexander? Quer trocar com ele e ir viver com a louca da sua mãe ou o louco de seu pai?
− Como o senhor é tão certo, deveria ser uma troca interessante− falou Alexander, dando um olhar a seu pai.
Harold era um homem magro e de estatura mediana. Sua característica única era o queixo distinto que se destacava na sua cara ampla e quadrada. Aos seus quarenta e oito anos, em seus densos cabelos castanhos começavam a aparecer os fios brancos e seus olhos azuis conservavam a intensidade do olhar. Alexander gostava de vê-lo de bom humor porque seus olhos perdiam o ar de severidade.
Jane Barrington, a mãe de Alexander, afastou Harold e entrou no quarto, vestida com seu melhor traje de seda e seu chapeuzinho branco.
− Harold, deixa o menino em paz − ordenou. −Não está vendo que ele está se arrumando? O carro pode esperar. E Teddy e Belinda também−. Jane ajustou os cabelos lisos e escuros sob o chapeuzinho. Em sua voz restavam traços de um melodioso sotaque italiano que não havia desaparecido em todo tempo que morava nos Estados Unidos, onde morava desde os 17 anos.
−Belinda nunca me agradou, você sabe− acrescentou, baixando o tom.
−Eu sei mãe. Por isso estamos indo a outro país, não? −Comentou Alexander. Sem virar-se contemplou seus pais pelo espelho. Fisicamente se parecia com sua mãe.



O Jardim de Verão


Trilogia O Cavaleiro de Bronze



Milagrosamente reunidos na América com seu filho Anthony, Tatiana e Alexander enfrentam uma nova vida no que promete ser uma terra de liberdade e oportunidade.

No entanto, o peso da guerra e os anos de separação, e a pressão de um ambiente muitas vezes hostil aos recém-chegados, testarão um amor que até agora tem provado ser inquebrável.

Capítulo Um

A carapaça
Carapaça é uma caixa dura ou casca espessa feita de osso ou quitina, que cobre uma parte do corpo de um animal tal como uma lagosta. Há muito, muito tempo, em Stonington, Maine, ao entardecer, no final de uma guerra quente e início de uma fria, uma jovem vestida de branco, aparentemente calma, mas com as mãos trêmulas, sentou-se num banco junto ao porto, tomando sorvete. Ao seu lado estava um menino, também tomando sorvete, de chocolate. Eles estavam conversando casualmente, o sorvete estava derretendo mais rápido do que a mãe podia comer.
O menino estava ouvindo enquanto ela cantava "Shine Shine My Star" para ele, uma canção russa, tentando ensinar-lhe as palavras, e ele, brincando com ela, distorcendo os versos. Eles estavam vendo os barcos de lagosta voltando.
Ela normalmente ouvia a disputa das gaivotas antes que ela visse os próprios barcos. Havia uma pequena brisa de verão e seu cabelo moveu-se ligeiramente sobre o rosto dela. Tufos que tinham saído de sua longa trança grossa, caída por cima do ombro. Ela era loira e magra, de pele clara quase transparente, olhos translúcidos, sardenta.
O menino bronzeado tinha cabelo preto e olhos escuros e pernas grandes para uma criança. Eles pareciam estar sentados sem um propósito, mas era uma falsa tranquilidade. A mulher estava olhando os barcos no horizonte azul de forma obstinada. Ela olhava para o menino, para o sorvete, mas ela observava a baía como se ela estivesse incomodada com isso.
Tatiana queria beber de si mesma no tempo presente, porque ela queria acreditar que não existiu o ontem, que é apenas um momento aqui na Ilha dos cervos num longo declive pendendo ilhas ao largo da costa central do Maine, ligado ao continente por uma balsa ou uma ponte suspensa de mil pés, sobre a qual eles vieram em seu trailer de acampamento, o seu Schult Nomad Deluxe usado.
Eles atravessaram a Baía Penobscot, sobre o Atlântico e ao sul, até o fim do mundo, em Stonington, uma pequena cidade branca aninhada na enseada das colinas de carvalho ao pé da ilha dos Cervos. Tatiana - tentando desesperadamente viver apenas no 7 presente - pensa que não há nada mais bonito ou pacífico do que essas casas de madeira brancas construídas nas encostas, em estradas de terra estreitas com vista para a imensidão da baía, para água ondulante que ela observa no dia a dia.
Essa é a paz. Esse é o presente. Quase como se não houvesse mais nada. Mas de vez em quando, num piscar de olhos, no entanto, enquanto as gaivotas voam e gritam, algo se intromete, mesmo na ilha dos cervos.
Naquela tarde, depois de Tatiana e Anthony deixarem a casa onde estavam hospedados para vir para a baía, ouviram vozes ao lado. Duas mulheres viviam ali, mãe e filha. Uma tinha quarenta anos, a outra vinte. "Elas estão brigando de novo", disse Anthony. "Você e o papai não brigam." Briga!



SÉRIE RAWLLINGS

A Rosa do Inverno (Where Roses Grow Wild)
A Dama da Ilha (Lady of Skye)
Aprendendo a Seduzir (Educating Caroline)
Pode Beijar a Noiva (Kiss the Bride)
Retrato do Meu Coração (Portrait of My Heart)
Um Pequeno Escândalo (A Little Scandal)
Uma Proposta Inadequada (An Improper Proposal)




A Rosa do Inverno
                                              


 A Rosa do Inverno - (Rawlings 1) - 
Patricia Cabot




Acostumado a conseguir qualquer mulher, Lord Edward Rawlings enlouquece com a sensualidade de Pegeen, que estava longe de ser a tia solteirona que ele havia imaginado. Mas Pegeen não está disposta a fazer mais concessões além de mudar-se, pelo bem de seu sobrinho, para a mansão dos Rawlings na Inglaterra. No entanto, ao chegar lá, ela logo percebe o risco que corre. Sempre movida pela razão, Pegeen sente que dessa vez seu coração está tomando as rédeas. Ela pode resistir ao dinheiro e ao status, mas conseguirá resistir a Edward?
A Rosa do Inverno é um romance leve, com boa dose de romantismo, forte aroma de sensualidade e uma pitada de suspense. Fala de paixão arrebatadora e indevida, de destino e escolha. Mas, sobretudo, é uma história que acende o debate sobre a condição feminina, o papel, os desejos, os temores da mulher. Ao confrontar o instinto de se entregar a um homem e a decisão de manter a independência, a Patricia Cabot faz do livro um espelho dos dilemas femininos.
                                                  





2- RETRATO DO MEU CORAÇÃO

Jeremy, duque de Rawlings, é expulso de Oxford após matar um homem durante um duelo.

Tal feito não deveria surpreender a ninguém uma vez que já fora expulso do Eton e Harrow anteriormente.
Quando Jeremy reencontra sua amiga da infância, Maggie Herber, depois de anos, acaba comprometendo-a.
Embora ela sempre tenha amado Jeremy, não deseja ter relação alguma com o homem frívolo no qual se tornou.
Em vez de aceitar sua oferta de casamento, vai a Paris para estudar pintura.
Jeremy se incorpora ao exército e serve na Índia.
Cinco anos depois, Jeremy retorna à Inglaterra com um propósito em mente: ganhar o coração de Maggie, que já tem um noivo.
Quer recuperá-la e desta vez para sempre.
O que se segue é uma história realmente divertida, engenhosa e terna...

Capítulo Um

Yorkshire, maio de 1871

—Diga-me que não é verdade - grunhiu Edward Rawlings, afundando a cabeça entre as mãos—De Oxford, não, Jeremy.
O jovem ficou olhando seu tio com preocupação do outro lado da mesa do botequim. Perguntou-se se devia chamar a garçonete e lhe pedir uma taça com algo mais forte que cerveja.
Edward parecia precisar de um par de whiskies.
Entretanto, ainda era cedo, e estavam no Goat and Anvil, uma cantina a poucos quilômetros da mansão Rawlings, e as pessoas certamente desaprovariam que o duque de Rawlings e seu tio tomassem uísque antes do meio-dia.
—Não é para tanto, tio Edward. - respondeu num tom despreocupado — Não diga que não esperava por isso, afinal, já tive a honra de ser expulso do Eton e Harrow, não queria negar o privilégio à sua alma máter.
Edward não riu, embora realmente não esperasse que o fizesse.
Ficou observando, pensativo, a cabeça inclinada de seu tio.
O havia visto pela última vez no Natal, há seis meses, e lhe parecia que tinha as têmporas mais grisalhas.
Jeremy não se achava importante a ponto de supor que era o único culpado dessa mudança.
Naquela época, seu tio era um dos cavalheiros mais influentes da Câmara dos Lordes e, em uma posição de tanta autoridade, era compreensível que tivesse algumas cãs, que inclusive eram necessárias para reafirmar a posição de um homem que, com pouco mais de quarenta anos, os pares mais conservadores poderiam considerar muito jovem.
Não obstante, desgostava ao duque acrescentar mais preocupações às já fatigantes responsabilidades de seu tio.
—Expulso de Oxford! — resmungou Edward enquanto sorvia a espuma que transbordava da caneca de cerveja.


                               






A Dama da Ilha - 


O Marquês de Stillworth, Reilly Stanton, quer reconstruir o seu orgulho ferido comprovando para todos e para si mesmo que é um verdadeiro herói e não um bêdado inútil como afirmou sua ex-noiva.

Ignorando todos os conselhos sensatos que recebeu, o londrino Stanton assume um posto médico na remota Ilha de Skye convencido de que pode conviver com as condições de vida, digamos... primitivas. É aí que conhece a senhora Brenna Donnegal, e por mais que tentasse, Stanton não consegue ignorar aquela bela mulher.

Ela ocupou o antigo papel do pai como médica local da Ilha, e está mais do que irritada por encontrar Dr. Stanton assumindo seu trabalho e a casa de campo de seu pai. Por bem ou por mal, ela dará o castigo merecido ao usurpador. Mas o que começa como uma faísca de um cabo de guerra entre dois corações orgulhosos logo inflama no fogo ardente da paixão.





Aprendendo a Seduzir
Série Rawlings

A única prova de que Tommy dispunha – o desenho no verso das cartas parecia estranho e ele nunca perdera daquela maneira – não era convincente.

“Ele havia tido sorte de ter escapado com vida”, pensou.Parecia que meter uma bala na cabeça de um jogador era coisa que o tal duque fazia todo dia.
Levar um tiro na cara talvez fosse preferível àquilo que Tommy sabia que estava reservado para ele: tentar conseguir mil libras para pagar o que devia.
É claro que não poderia pedir a um banco.

A fortuna que o pai lhe deixara, ao morrer havia pouco mais de um ano, só chegaria a suas mãos quando completasse vinte e um anos, e ainda faltavam dois anos.
Não poderia tocar naquele dinheiro.Mas sabia que podia pegar um empréstimo,dando‑o como garantia.
A dificuldade era: a quem pedir?



                                                        



PODE BEIJAR A NOIVA


 Kiss The Bride

Autor: Patricia Cabot
Editora: Essência 
Gênero: Romance Histórico 
Sub-Gênero/Assunto: Casamento por Conveniência 
Período: Inglaterra e Escócia, 1833

Apenas um homem poderia propor a ela casamento... Emma Van Court, dama de uma família londrina, jamais esperava ficar viúva e sem vintém na aldeia escocesa de Faires. E quando uma fortuna lhe foi prometida, se ela tornasse a se casar, a bela professora deparou-se com um mosaico de homens solteiros lutando por suas atenções, desde o pastor local até um detestável barão. 
Um doce beijo selaria aquele amor... 
James Marbury, conde de Denham, era moderno e sofisticado... e totalmente desacostumado às estradas lamacentas e aos telhados de palha de Faires, para onde viera depois de saber do falecimento de seu primo Stuart. E sem demora ficou exasperado ao descobrir que seu amor louco e intenso pela viúva Emma continuava tão forte quanto antes. Diante de tantos homens solteiros que a cortejavam, James encontrou uma única solução: oferecer-se como marido temporário para Emma... mesmo que secretamente ele desejasse fazer seus votos durarem para sempre.






Um pequeno escândalo 

Burke Traherne, Marquês de Wingate, ficou famoso por sua natureza irascível, apesar disso não conseguiu dominar Isabel,sua filha de dezessete anos de idade. A senhorita Pitt, a última de uma sucessão de damas de companhia, resignada, acabava de pedir demissão com lagrimas nos olhos. O marquês teria que encontrar rapidamente uma substituta porque sua filha invariavelmente, jogava-se ao pescoço dos homens mais inadequados. Burke não podia mais aguentar isso. Seu primeiro encontro com Kate Mayhew foi um desastre, ela cuidava dos filhos dos vizinhos e parecia ter um caráter diabólico, mas Isabel gostava muito dela e só comportava-se bem, quando estava com Kate. Assim, Burke teve que pagar uma quantia astronômica para contratá-la, sabendo que a paz não tem preço.
Lorde Wingate cometeu um grande erro, porque introduzir em sua casa uma mulher tão sedutora como Kate Mayhew, era a garantia certa de ser tentado a ficar em casa.





Uma Proposta Inadequada - 


Aventureira e desbocada, Payton Dixon tem dois sonho: um navio para ela comandar e o amor do Capitão Connor Drake. Mas os dois parecem impossíveis de alcançar, já que o seu amado capitão está prestes a se casar com outra, e pior, ele ganhou o navio que ela queria como presente de casamento do seu pai.


Para provar que ela está certa, Payton revela um escândalo sobre a futura Sra Connor Drake, o que gera vários problemas. Enquanto Drake não consegue decidir entre apertar a garganta da menina Payton, que ele viu crescer, ou fazer amor com a linda mulher que ela se tornou. 

terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

IRRESISTÍVEL



Estava solteira, era virgem e lhe faltava pouco para cumprir os trinta, mas a novelista
Amanda Briars não estava disposta a receber seu trigésimo aniversário sem ter feito o
amor com um homem.
Quando Jack Devlin chamou a sua porta, acreditou que se tratava do presente que
tinha dado a si mesma: um homem contratado para uma noite de paixão, mas estava
equivocada



Prólogo

Londres, novembro de 1836
— Que estilo prefere, senhorita Briars? Gostaria de um homem loiro ou moreno? Alto ou de média estatura? Inglês ou
estrangeiro? —A mulher usava um tom do mais prático, como se estivessem falando de um prato que tinha que servir-se em um
jantar, em lugar de tratar-se de um homem de aluguel para aquela noite.
Suas perguntas fizeram que Amanda se encolhesse. Notou que lhe inflamavam as bochechas até as sentir arder, e se
perguntou se era isso o que ocorria aos homens quando visitavam pela primeira vez um bordel. Por sorte, aquele bordel era
muito mais discreto e estava mobiliado com muito melhor gosto do que tinha imaginado. De suas paredes não penduravam
pinturas chocantes nem gravados vulgares, nem tampouco havia à vista clientes nem prostitutas. O estabelecimento da senhora
Bradshaw resultava bastante atrativo, forradas de damasco cor verde musgo as paredes, e a salita de recepção privada mobiliada
ao estilo Hepplewhite. Havia uma mesita de mármore colocada com muito bom gosto junto a um sofá uso Império adornado
com escamas de golfinho douradas.

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

LIGAÇÕES PROIBIDAS





Ligações Proibidas

Abigail Weston, uma solteirona resoluta de vinte e cinco anos, está decidida a ver a irmã mais nova casada com um homem de bem. Contudo, a sua falta de experiência com o sexo oposto impede-a de apaziguar os medos da irmã em relação à noite de núpcias – a não ser que se atreva a dar um passo arriscado de forma a aprender o que a intimidade entre um homem e uma mulher implica. No entanto, o único homem em Londres qualificado para a ensinar fá-la desejar algo que ela nunca esperou: experimentar todos os prazeres por si própria... James Stevens – rico, imoral e tremendamente aborrecido com a sociedade londrina – acredita que nada é capaz de chocá-lo. Embora o pedido de Abigail, a explicação verbal dos prazeres da carne, seja um pouco surpreendente, o que o espanta realmente é a sua reacção poderosa em relação à inocência e beleza dela. Um romance entre ambos pode trazer grandes êxtases carnais, mas qualquer coisa mais arruinaria para sempre Abigail. Pela primeira vez na vida, James suspeita que a mera intimidade física nada é quanto comparada ao amor verdadeiro...




Fonte: Skoob

domingo, 22 de fevereiro de 2015

SÉRIE REGÊNCIA

3ª REMESSA DE LIVROS DA SÉRIE 







PLANOS DE CASAMENTO
AUDREY LIM

Lucy era impresivível, surpreendente e isso estava deixando o marquês irritado. Ela era sua noiva, uma jovem que deveria ser inocente, recatada e obediente. Porém toda vez que a encontrava, ela lhe vinha com outra supresa. Até mesmo o seu vestido de casamento foi inesperado! Entretando, a maior das surpresas que ela lhe proporcionaria seria na França, quando arriscando suas vidas eles descobriram o amor.










ENCONTRO COM O AMOR
PATRÍCIA SHAFFER

Alice viu-se inesperadamente envolvida em uma farsa. Uma farsa que era a expressão de seus sonhos secretos... e impossíveis. Se falhasse, provocaria uma tragédia, mas como fingir ser a esposa do duque de Burlingford sem trair seus verdadeiros sentimentos? O duque só queria ajudar Alice, mas terminou envolvido em uma imensa confusão que lhe custaria o coração.











O DUQUE E A ESCRAVA
CYNTHIA WADDEL

No momento em que pôs os olhos em Aurora, Malcolm teve a certeza de que estava diante da criatura mais doce e meiga da face da Terra. Não podia suportar a ideia de que ela fosse submetida ao destino que lhe esperava e não mediu esforços para libertá-la. Lutou contra tudo e contra todos para protegê-la, mas a vítima acabou sendo ele. Vítima dos encantos de Aurora que lhe roubou o coração.









LÁGRIMAS DE AMOR
KARA MITCHELL

Magritte recebeu uma missão e tinha que cumpri-la. Envolvida em disputas de toda natureza - política, sucessão e amor - ela viu sua vida ser ameaçada e quase ser impedida de realizar o que lhe fora determinado, porém sua obstinação era mais forte que qualquer inimigo. Seu único ponto fraco era o amor que sentia por Ewan, o duque de Arkrae


FIM DA SÉRIE








SÉRIE REGÊNCIA

2ª REMESSA








O CASAMENTO DO DUQUE
JAYDA RAMEY

Havia chegado o momento inevitável: o duque precisava se casar. E quem escolheu a noiva foi sua amante. Na verdade, a última coisa que ele queria era casar-se, e menos ainda com uma noiva escolhida por sua amante. E as coisas só pioravam: uma bela jovem o procurou para oferecer-se para o posto de duquesa. A vontade de James era fugir para bem longe de toda essa confusão. E o teria feito se os rumores de sua aventura com a
marquesa não tivessem se espalhado tão rápido. Agora, o casamento é sua salvação, basta escolher a noiva.










AS JOIAS PERDIDAS
IVY MIMS

A única herança de Lucy eram as fabulosas joias de Wandressen, de valor incalculável. O problema da jovem é que elas estavam escondidas em algum lugar do velho castelo desde a guerra com Napoleão e Lucy dispunha de pouco tempo para procurá-las antes que o novo duque chegasse. O que ela precisava era encontrar uma maneira de continuar vivendo ali até descobrir o paradeiro das joias.









UMA DAMA OUSADA
ABIGAYLE LAFEVER

Entediada com seu casamento infeliz, Leah participa de todo tipo de aventuras permitidas somente aos homens e assim escandaliza a sociedade. Ela não se importava com isso, mas um dia suas aventuras extrapolam o limite do bom senso e ela se vê envolvida com salteadores de estrada... e apaixonada por um deles!













O SEGREDO DO MAJOR
MICHELLE LEMONS

O Major Sterling Hafley jamais poderia imaginar que encontraria seu grande amor no campo. Tampouco que isso aconteceria no momento mais inoportuno de sua vida. Joelle nunca pensou que vivendo na fazenda pudesse conhecer alguém tão interessante e atraente quanto o Major Sterling, mas aconteceu e ela apaixonou-se por ele. O que ela não sabia era que sua felicidade talvez não durasse mais que uma noite!

SÉRIE REGÊNCIA

1ª REMESSA DE LIVROS DA SÉRIE




Encontro inesperado - Regência 1
Autor: Jayda Ramey

Obrigada a casar-se com um homem detestável para salvar o seu irmão da cadeia, Clarisse fica aterrorizada com os avanços de e a brutalidade de seu marido. No caminho para sua nova casa, eles são atacados por um misterioso salteador de estradas que desafia Christian para um duelo, onde ele é morto e Clarisse, agora viúva, levada de volta para casa.
Cinco anos depois Clarisse é a dama de companhia favorita da rainha, quando os caminhos dela e do assaltante, ainda foragido da justiça, se cruzam novamente. Agora de forma muito mais perigosa.







UMA BOA ESPOSA
KAITHYN HINES

O Conde necessitava de uma boa esposa. E com urgência. Para Karina, o
casamento seria a solução de todos os seus problemas. O que poderia ser
conveniente para ambos, transformou suas vidas de modo irremediável.










A DAMA DO JARDIM 
KAYLEIGH SAINE

Quando Alton encontrou Sylvina pela primeira vez, pensou tratar-se de
uma ilusão pois mais parecia uma ninfa do que uma mulher de verdade.
Ao constatar que ela era real, decidiu que seria sua esposa, mas como se
ela estava noiva?












IMPREVISTO DO AMOR
SUSAN PHILLIPS

Um encontro inesperado entre o Marquês e uma jovem de indescritível
beleza e inabalável força de vontade mudou os rumos da vida de ambos.
Entretanto não há esperança para um futuro comum, pois ele tem um
compromisso com sua antiga linhagem e não é livre para amar.









Dívida com o Destino - Memphis Ritchie

Letícia vivia o pior momento de sua vida. E também o melhor. Tudo por
culpa do duque de Montrichard. Ele a fez esquecer por alguns momentos
o seu destino incerto e as angústias que tornavam seu coração pesado.
Entretanto o amanhã a esperava e cobraria o preço destes momentos de
felicidade.

sábado, 21 de fevereiro de 2015

SÉRIE NOIVAS DUNSWORTHY - SECRETAS INTENÇÕES - FLOR DO CAMPO



Jo Ann Ferguson - Secretas Intenções

Série Noivas Dunsworthy 01

 Inglaterra, 1815

Um plano errado pode dar muito certo...

Um duelo deixou Lucian, o quarto conde de Wandersee, com um braço ferido e uma profunda aversão pela sociedade londrina. Ao viajar em segredo para o interior da Inglaterra, Lucian é acometido por uma febre alta que o obriga a aceitar a hospitalidade de Bianca Dunsworthy, a jovem mais encantadora que eleja conheceu. Logo Lucian percebe a tramoia de Bianca para aproximá-lo da tímida irmã mais nova, e decide virar o feitiço contra o feiticeiro...

Bianca não tem tempo para pensar em romance. Seu objetivo de vida é cumprir o juramento secreto que fez em honra do irmão, morto em combate. Mas Bianca não contava em conhecer um homem tão determinado e persistente como Lucian, e muito menos com a paixão que ele lhe desperta, levando a um desejo incandescente e cada vez mais difícil de negar, até para si mesma...





Série Noivas Dunsworthy 02


 Inglaterra, século XIX

Como enganar o próprio coração?...

Rosie preferia estudar o Egito antigo a enfrentar os olhares exigentes da alta sociedade. Ao conhecer Rupert, ela encontrou um companheiro com a mesma paixão por História Antiga e o mesmo desdém pela instituição do matrimônio. Mas o sorriso charmoso e sedutor de Rupert era irresistível, até mesmo para Rosie, embora ela teimasse em dizer que tudo que desejava era amizade...

Convidar Rosie para hospedar-se em sua casa para a comemoração do casamento do irmão seria uma oportunidade de Rupert mostrar a ela sua coleção de antiguidades. Mas a convivência com aquela jovem encantadora abalava um pouco mais o conceito dele sobre casamento. Na verdade, a idéia de ter Rosie a seu lado para sempre era mais do que interessante! Era uma tentação da qual ele não se livraria tão facilme

SÉRIE DETETIVES DE BOW STREET



Série: Detetives de Bow Street 01 a 3 - Lisa Kleypas



Livro 1: Anjo ou Demônio

Uma bela jovem, que foi resgatada das águas geladas do rio Tâmisa, desperta na cama de um desconhecido e descobre que perdeu a memória. Dizem que ela é Vivien Rose Duvall, uma das beldades mais escandalosa de Londres, e também descobre que está sob a proteção do enigmático e charmoso Grant Morgan. O único homem em que ela poderia confiar. Mas em seu coração, ela sabe que está sendo confundida com outra ...
Grant Morgan, um dos partidos mais cobiçados de Londres, é um homem que conheceu todos os tipos de mulheres. E esta, em seus braços,


parece tão inocente e vulnerável, que não pôde evitar a atração que sentia por ela. A medida que seu amor por ela cresce, fortalece a sua decisão para desvendar os segredos de seu passado e descobrir a verdade ... seja ela qual for.






Livro 2: O Amante de Lady Sophia


A cidade de Londres, no início da era vitoriana, é palco de uma luta feroz contra o crime, que não respeita nenhuma classe social. Desde a morte de seu irmão mais novo, Lady Sophia Sydney tem um objetivo: seduzir o juiz que o mandou para a prisão, e politicamente e pessoalmente destruí-lo. Ross Canon é o juiz mais poderoso em Londres, e sua reputação é impecável. Conhecido como o Monge de Bow Street pelo celibato que vivia desde que sua esposa morreu. A partir do momento em que ela o conhece ele parece ser diferente do que esperava Sophia.





Livro 3 - O Preço do Amor


Inglaterra era vitoriana. Nick Gantry , além de ser um homem com um passado sombrio, é considerado o mais experiente amante de todo o país. Lorde Radnor, conhecendo da capacidade de Nick para resolver situações delicadas, o contratou para encontrar Charlotte Howard. Nick é capaz de realizar essa missão sem complicações... Mas, quando encontra com a senhora em questão, em vez de uma jovem caprichosa encontra uma mulher desesperada para escapar das garras de um nobre obcecado em possuí-la.


PASSADO DE SOMBRAS



Um homem nas sombras...

Ninguém conhece a verdade sobre Marshall Ross, o misterioso lorde de Ambrose.
Ele evita o convívio com a sociedade, decidido a não permitir que seu terrível segredo venha à tona...
Uma mulher desesperada...
Só mesmo o desespero poderia levar Davina McLaren a um castelo em Edimburgo para tornar-se esposa de um homem que ela nunca viu.
Atormentada pelo escândalo, sem escolha, ela fez uma barganha com o demônio, e agora precisa dividir a cama com ele...
Uma paixão como eles nunca viram igual!
Do momento em que se vêem pela primeira vez, Davina e Marshall são abalados por uma atração inesperada.
Mas a paixão não pode protegê-los dos pecados do passado.
Com um inimigo de Marshall fechando cada vez mais o cerco, e tudo o que eles mais prezam em risco, ele e Davina têm de lutar para preservar a paixão que não podem mais negar!...

Capítulo Um

1870, Edimburgo, Escócia
O dia do casamento estava lindo e claro.
Um brilhante céu azul pairava sobre Edimburgo. A brisa era tépida, o ar carregava o frescor da primavera.
Havia silêncio na praça, nenhum barulho perturbava a serenidade da mais fortuita das manhãs. Até o brilho do sol aprovava as núpcias entre o conde de Lorne e Davina McLaren. À janela, a noiva observava o dia.
Sua emoção predomi­nante não era nem antecipação e nem medo. Davina McLaren estava muito irritada.
Sua tia, a mulher que orquestrara aquele fiasco de casamen­to, estivera ausente nos últimos três dias.
Justamente quan­do o furor das costureiras chegava a níveis insuportáveis, Theresa pegara um trem para Londres.
E por fim, ela chegara em casa na noite anterior, clamando exaustão e prometendo explicações para a manhã seguinte.
Contudo, aquela não era a maior origem do aborrecimen­to de Davina e sim o fato de que ainda não tinha conheci­do seu noivo.
Em tempos tão modernos, ela continuava a ser tratada como uma peça de mobília.
A situação era muito desagradável.
Nenhuma das mulhe­res que ela conhecia havia se casado daquela maneira.
Todas elas tinham conhecido seus futuros maridos meses antes do casamento.
Como seria a aparência de um homem apelidado de demô­nio?
O que havia feito para ser rotulado com tal apelido?
O demônio de Ambrose. Sem dúvida, devia ter cabelo preto.
E talvez penetrantes olhos negros, nariz grande e um queixo pontudo.
Provavelmente suas orelhas eram esticadas em um ângulo apontando para cima.
Como seriam os filhos que certamente teriam? Filhos! Deus do céu, filhos!
Aquela seria sua noite de núpcias, e ela teria de se despir na presença de um estranho e permitir que ele fizesse aquilo com ela.
Graças a Alisdair e a sua própria tolice, ela sabia muito bem o que aconteceria na noite do seu casamento.
Alisdair Cannemot, o aventureiro, conhecedor de mulheres e espoliador de inocentes. Bem, talvez a descrição não estivesse intei­ramente correta.
Se ele a deflorara, tinha sido com sua inteira cooperação.
Fora para seu cadafalso armada de curiosidade e não apenas de uma ligeira antecipação, logo suplantada por uma surpreendente realidade.
Davina estava errada em atribuir a Theresa a culpa por aquele casamento.
Apesar de ser verdade que sua tia aceitara o pedido do conde de imediato, também era fato que ela esta­va completa e indignamente arruinada, e talvez aquela fosse a única oferta de casamento que receberia.
A possibilidade de ser uma solteirona era quase tão desconcertante quanto ser casada com um homem que ainda não conhecia.

ENTRE A REALIDADE E O SONHO




Entre a Realidade e o Sonho -

 Estados Unidos, 1899



Sonho de uma noite de outono...

Com a chegada do outono, a produtora de televisão Leigh Hunter percebeu que sua carreira de sucesso estava começando a perder o esplendor. No entanto, quando uma certa abóbora que ela comprou para comemorar o feriado de Halloween a transportou para o ano de 1899, o sereno e atraente Ben Sutton logo lhe mostrou que o amor verdadeiro era um bem muito mais precioso do que uma carreira bem-sucedida. Mas será que o mundo simples e pacato de Ben, da virada para o século vinte, poderia se tornar também o mundo de Leigh?...

POR AMOR...


Por Amor...



Felizes para sempre...

Miranda era uma das poucas jovens da sociedade que acreditavam no amor verdadeiro, e não pretendia se casar por fortuna ou por título de nobreza.

Ela faria qualquer coisa para promover o amor, até mesmo confrontar o homem cuja desaprovação impedia seu irmão de cortejar a moça a quem ele amava.

No entanto, o impetuoso encontro de Miranda com Simon Watterly, o duque de Kerstone, teve consequências bem diferentes das que ela pretendia...


Pois, quando aquele nobre cínico percebeu que a reputação dela ficara comprometida depois do encontro entre ambos, ele insistiu em nada menos do que casamento. E de repente, a grande defensora dos finais felizes de contos de fadas viu-se noiva de um homem que não acreditava no amor... Contudo, Miranda não desistiria de seu sonho de Cinderela, nem de fazer do charmoso e atraente Simon o seu príncipe encantado...

Capítulo

Londres, 1832
Simon Watterly olhou ao redor do salão de baile apinhado, tentan¬do não demonstrar que estava entediado.
Havia sido educado para cumprir seu dever em relação ao nome da família e a não desonrá-la comportando-se inadequadamente.
Prometera ao duque.
E Simon sempre cumpria suas promessas e seu dever.
Que farsa!
Na verdade, era um amargo consolo saber que aquela noite seria a última vez que teria de fingir ser o que aquelas pessoas pensavam que ele era.
E o que ele próprio acreditara ser, até a noite anterior, quando ouvira as palavras de sua mãe ao seu pai moribundo... Seu pai não, o duque de Kerstone.
Naquele instante, sua vida desmoronara.
Se o duque, em seu leito de morte, não tivesse arrancado dele a promessa de não destruir a reputação da família... Mas isso era irrelevante.
O duque parecia tão frágil e abatido enquanto implorava, os pálidos olhos azuis marejados de lágrimas, os dedos esquálidos e trêmulos exercendo uma leve pressão no pulso de Simon...
Não podia negar aquela promessa ao homem que chamara de pai a vida inteira, mas haveria de encontrar um modo de contorná-la, se um matador ou alguma batalha sangrenta não o fizessem por ele, como acontecera com seu irmão mais velho, que ele jamais conhecera.
Seu legítimo irmão mais velho, morto pela explosão de um canhão na França quando Simon ainda era um bebê.
Simon virou-se com um sobressalto ao sentir uma mão em seu ombro.
— Desculpe se o assustei, primo, — Giles Grimthorpe fez um discreto movimento com a cabeça em direção às pessoas que dançavam.
— Não gostaria de fazer uma pequena aposta para agitar um pouco esta noite enfadonha?
— Que tipo de aposta?
— Uma sedução.
Simon olhou para o primo, que sorria, sem dúvida esperando um pequeno sermão.
Mas ele teria uma surpresa.
Uma hora antes, enquanto ajustava a gravata diante do espelho no hall da casa de seus pais, Simon prometera a si mesmo que faria o que estivesse ao seu alcance para destruir a imagem que todos faziam dele, de rapaz direito e bem-comportado.

O LOBO DO MAR




 Muitos temem o lobo-do-mar, terror dos oceanos, mas poucos conhecem seu verdadeiro nome: Morgan Drake. É ele o destemido pirata que liberta marinheiros americanos das embarcações inglesas. Serenity, uma linda repórter, está disposta a arriscar sua vida, inocência e coração, para tornar público os segredos que Morgan está determinado a guardar a qualquer custo... Com sua natureza independente e personalidade forte, Serenity sabia que sua presença era apenas tolerada no jornal de seu pai. A reportagem exclusiva sobre o temível Lobo-do-Mar certamente a ajudaria a conquistar o respeito e reconhecimento que ela tanto desejava. Mas Serenity não imaginava que seria raptada pelo sensual e perigoso pirata cujas proezas despertam nela fantasias proibidas. Nem esperava encontrar nos braços fortes do capitão Morgan Drake a aventura e a paixão com que sempre sonhara!

CONTRATO DE CASAMENTO - PEDIDO DE CASAMENTO


Quando Os Sinos Tocam...


PEDIDO DE CASAMENTO 




Constance de Lanmartin precisa recuperar sua valiosa urna, que está em posse do guerreiro normando Cuyon de Burgh, e é a única maneira de ela conseguir protelar um casamento forçado.

Guyon, por sua vez, tem a missão de entregar a urna, contendo uma relíquia, intacta nas mãos do rei, e decide levar Constance consigo no navio.
Contudo a crescente atração que ela lhe desperta o faz ficar dividido entre o dever e a paixão...

Capítulo Um

Cagarun, Bretanha Junho de 1177

Eles alcançaram o rio no final da manhã, e pararam na margem, onde a água era rasa.
A nova mula branca, carregada e enfeitada de vermelho, tinha provado ser temperamental, um mau negócio entre os muitos propostos pelos rudes monges da Abadia de São Mevennus.
Se os bretões pretendiam fazer uma emboscada, estariam ali por perto, escondidos sob as árvores. A vegetação cerrada da floresta poderia esconder um grande número de homens armados, e a pequena ponte ao lado evitaria que os animais carregados se perdessem rio abaixo durante a luta.
Na bela manhã ensolarada, Guyon mostrava o cenho carregado.
De nada valia o sino da abadia soar vagarosamente, mas de maneira inconfundível, informando a todos que alguma coisa havia se extraviado na colônia de São Mevennus.
Respeito, o abade tinha dito. Respeito e celebração para os ossos de São Petroc, trazidos para a Bretanha pelo infortúnio de um monge ladrão descendente dos bretões, e que estava de volta ao lar, na Cornualha.
Diante da suave malícia do abade, Guyon tinha engolido uma imprecação de soldado e atravessara os portões do mosteiro até a costa, para a pequena baía onde o navio do rei Henrique encontraria a tropa e levaria as relíquias de São Petroc de volta à Inglaterra.
A vagarosa batida do sino tinha trazido o povo ao local em procis¬são, carregando o santo para seu lar.
Aos pequenos milagres que São Petroc tinha inspirado durante sua curta estada na Bretanha foi acrescentado o maior benefício de todos: não tinha havido homens armados nos campos da abadia para observar Guyon e seus homens passar.
Nenhum dos fazendeiros espiões havia tentado se opor aos soldados normandos que levavam São Petroc ao mar, e dali à Cornualha.
E ninguém do povo bretão tinha notado um grupo menor de peregrinos, vestidos com sóbrios mantos de comerciantes, que tinham saído pelo portão do pomar do mosteiro enquanto a esplêndida procissão de Guyon prosseguia para o leste para a estrada do rio.
Guyon de Burgh trouxera seus arqueiros, e foi com eles para a margem do rio.
Atrás deles marchavam vinte soldados a pé e seis homens montados em trajes de padre, o último deles conduzindo uma preguiçosa mula carregada.
A um gesto de Guyon, a coluna parou.
O primeiro padre apressou o cavalo, passou a coluna e cobriu, com a capa, uma pequena espada presa à sua sela. Curvando-se para a frente, franziu o cenho.
— Vejo apenas dois deles.
— Chamarizes — disse Guyon. — Pode haver outros esperando sob as árvores. — Ele se mexeu na sela e olhou para o rio. — Se há bandidos esperando, eles logo aparecerão. Traga a mula carregada até aqui e tenha os arqueiros prontos.
Na margem oposta, dois cavaleiros cutucaram suas montarias para sair das sombras das árvores em direção à parte rasa do rio, perto da ponte.
Na metade do caminho, viram os homens de Guyon e pararam.
— Por São Radegunde — soou uma voz ao lado de Guyon. — Há um prêmio que vale o roubo.
— Quieto.
— Olhe para ela, Guyon. Apenas olhe para ela.




CONTRATO DE CASAMENTO




Abigail Carpenter assina um contrato de casamento com Bush Tanner, um homem que ela nunca viu, para escapar do assédio de seu primo.

Ao chegar à cidadezinha longíngua no Meio-Oeste, ela espera que seu noivo venha buscá-la, mas ele não aparece.

Para poupá-la de constrangimento, Caleb Montgomery se prontifica a levá-la até o chalé de Tanner, que está fora da cidade.
Abby resiste à atração que sente por Caleb, já que está prometida ao amigo dele, porém um perigo oculto os aproxima, e Tanner está para chegar a qualquer instante...

Capítulo Um

Victor, Colorado Outubro de 1892
Enquanto a carroça coberta continuava seu caminho, Abigail Carpenter se agarrava à lateral do veículo, tentando se firmar no banco.
Embora William Brady, o condutor da carroça principal, não afastasse sua atenção das mulas que puxavam a carroça, ele tinha consciência do desconforto da passageira.
— Talvez fosse melhor a senhorita ficar dentro da carroça com Sarah.
A estrada não vai melhorar e seria mais confortável. — Sua voz era áspera, porém denotava preocupação com a segurança de Abigail.
— Sim, Abby — Sarah falou de dentro da carroça. — Venha para dentro comigo.
— Prefiro ficar aqui. — Abby sorriu para a mulher mais velha para logo em seguida tornar a olhar para a frente.
— Estou ansiosa para conhecer meu novo lar.
— Ela protegeu os olhos do sol com a mão.
— Talvez fique desapontada, senhorita — Brady declarou. — Victor não é grande coisa. Apenas algumas construções e muita gente. Com certeza nada que valha a pena.
Mas Abby estava ansiosa demais.
Tanto que tinha a boca seca e sentia um aperto no estômago.
Em que situação se metera? Na pressa de escapar de seu primo, assinara um contrato que a uniria a um estranho pelo resto da vida.
A carroça balançou novamente quando as rodas passaram por cima de uma grande pedra, e ela se agarrou com mais força à moldura do veículo até os nós de seus dedos ficarem brancos.
Quando a carroça atingiu o topo da elevação, Abby teve a primeira visão da pequena cidade que seria seu novo lar.
Era um lugar feio, encravado em um lado da montanha como uma aranha monstruosa que estivesse esperando para agarrar um viajante desavisado em sua teia. E Abby realmente fora pega. Por sua própria mão.
Desejava fugir, escapar do destino que a aguardava, mas sabia que era impossível. Assinara um contrato que a uniria a um homem chamado Bush Tanner, e nada poderia desfazer o que já havia sido feito.
Por que agira tão impensadamente?
Se tivesse esperado mais alguns dias, talvez tivesse encontrado outra solução.
Agora era tarde demais.

O BUQUÊ DA NOIVA



O Buquê da Noiva - Linda Madl



Estados Unidos, 1863

Em algum lugar do passado...
A gerente de relações públicas Jennifer Hollis escolheu o Solar Apple Grove como locação para a cerimônia do seu casamento, com o intuito de mostrar a todos que aquele belo lugar deve ser preservado como centro histórico em vez de ser transformado em um parque de diversões. Porém, quando seu noivo não aparece, e um fotógrafo registra a imagem de Jennifer sozinha e desolada, segurando nas mãos seu buquê, o flash da câmera ilumina um ambiente totalmente diferente, e Jennifer se vê transportada para o ano de 1863, casando-se com o capitão Bennett Vance, e segurando nas mãos o mesmo buquê de noiva. Logo Jennifer percebe que Bennett é a sua alma gêmea...
Mas ela precisa descobrir uma maneira de retornar ao futuro, a fim de continuar sua campanha para preservar Apple Grove, e não sabe se Bennett poderá acompanhá-la em sua viagem no tempo.


Jennifer sempre gostou de roupas antigas, casarões, mas nunca se imaginou vivendo literalmente no passado. Até que acontece um acidente com a máquina fotográfica que a faz voltar ao passado na mesma casa que ela tanto ama e tenta proteger. E é nessa nova realidade que ela conhece seu príncipe encantado. Bennett é um cavalheiro, e o tipo de homem com o qual ela sempre sonhou, ainda mais por ter em comum com ele uma grande paixão, que é o solar Apple Grove. Ela fica encantada com a fabricação de cidra feito por ele, e quer levar isso para o futuro.

Já Bennett não pensou que se apaixonaria novamente, ainda mais depois de seu divorcio, mas Jennifer é encantadora, e ele não resiste a seu charme. No começo ele achou estranha a versão que ela contava de que vinha de outra época, mas agora que se apaixonou por ela, ele também quer compartilhar esse mesmo futuro nos braços de sua amada, mesmo que para isso tenha que viver em uma época totalmente estranha para ele, e com muitas mudanças, mas o amor que sente por Jennifer irá ajudá-lo a superar todos os obstáculos dessa realidade tão distante da conhecida por ele.


O ENCANTO DE MADDY



O Encanto de Maddy -


Ele ansiava pela magia e doçura dos beijos daquela mulher...
Ela é a mulher mais fascinante de Londres, conhecida por seu sorriso discreto e comportamento recatado. Porém, Maddy Fallon, não é uma simples donzela tímida. Abençoada com um talento extraordinário, ela está determinada a descobrir a verdade por trás de uma série de misteriosos raptos. E embora isso signifique arriscar a própria vida, ela não se deixará deter por ninguém, nem mesmo pelo atraente Jasper Reeves...
Jasper se une a Maddy nas investigações, alegando que sua única preocupação é protegê-la. Mas seus motivos não são desinteressados. Dominado pelo desejo, e ansiandopor satisfazer sua paixão, ele fará qualquer coisa para ficar perto da encantadora Maddy. Ele está enfeitiçado e seduzido pela poderosa magia daquela mulher, e jurou guardar segredos que não devem ser revelados, e que podem ameaçar esse amor recém-descoberto...

A PROMETIDA



 Inglaterra, 1814

Tempestuosa paixão

Andrew Morrow é um homem que sabe o que quer, e não tem intenção de concordar com um casamento arranjado com Jacinda Blanchett, filha de um rico comerciante. Com o objetivo de fazer sua própria fortuna, Andrew ingressa na Marinha e vai para a India. Oito anos depois, no entanto, ao retornar para a Inglaterra, rico, bem-sucedido, ele descobre que seu pai está na miséria, que sua noiva prometida desapareceu misteriosamente e que ele é suspeito de estar envolvido na morte do pai dela.

A decisão tomada no passado foi o primeiro elo de uma corrente de infortúnios, mas Andrew está determinado a rompê-la, e quando encontra Jacinda, percebe que não será fácil. Pois ela é tão teimosa quanto ele, e linda demais para resistir... De repente, casar-se com aquela moça corajosa é o único destino que Andrew pode vislumbrar para si... Isto se conseguir convencê-la de que a paixão explosiva entre ambos é uma prova de amor verdadeiro...

A IMPOSTORA




Anne se sentia acuada, pois a esposa de seu pai pretendia casá-la com um escocês selvagem no lugar de sua meia-irmã, filha legítima e ela não poderia fazer nada, pois era apenas a filha bastarda.

Brodick escolhera uma esposa inglesa por causa de seu dote e estava preparado para todos os problemas que ocorreriam por isso, ele era um valoroso guerreiro e laird de seu clã e conseguiria dominá-la.



Anne aprendera amar seu marido e esperava um filho seu, mas ela deveria retorna para Inglaterra, pois assim sua senhora o exigia para entregar seu filho a sua irmã, em troca da vida de sua mãe e irmãos.
E agora o que seria dela?

Revisão Final: Nadia Cortez; Achei o livro muito bem estruturado e desenvolvido, está na categoria dos gostosos de ler, algumas passagens são bem quentes a ponto de soltar fagulhas, mas não chegam a ser grosseiros.
A personagem feminina é uma mistura de donzela tímida e mulher valente, pois no ínicio sabe se impor, só que durante a passsagem do tempo ela se torna muito submissa ao marido.
Ele é o guerreiro belo, forte e poderoso, que na verdade toda mulher gostaria de encontrar pelo menos uma vez na vida.
Mas sabe ser humano e correto como lider do clã.
Eu apreciei o romance, mas não existe cenas de luta nem grandes conflitos, entretanto o enredo envolve e satisfaz no final.

Capítulo Um

Castelo de Warwick, 1578
— Não tocará nas minhas pérolas!
A condessa de Warwickshire era uma mulher formosa, no entanto tinha os lábios retorcidos, numa arrepiante expressão, enquanto fulminava com o olhar a amante de seu marido.
— É obvio que as tocará, esposa.
O conde entrou no quarto sem fazer ruído, nem sequer suas esporas emitiram algum som. Manteve a voz serena embora houvesse um inconfundível timbre autoritário nela.
Todos os criados presentes na residência abaixaram a cabeça num gesto de deferência ao senhor da casa, antes de continuar com as suas tarefas.
Entretanto, eles escutavam atentos tudo o que se dizia, já que seguiam com interesse a evolução do crescente descontentamento da condessa.
E este tinha aumentado desde o dia que souberam que a amante do conde estava grávida, e fazia tempo que esperavam um desenlace para semelhante situação.
— Levará as pérolas e as novas roupas, que a encarreguei de providenciar para quando a criança nascesse.
Lady Philipa mordeu o lábio inferior para reprimir a mordaz resposta que lhe veio à mente.
Não se atreveu a expressá-la em voz alta porque sabia quão volúveis eram os homens quando a paixão cruzava em seu caminho.
Em lugar disso, seus lábios formaram uma careta ao mesmo tempo em que fazia uma reverência ao seu marido.
Ao levantar o rosto, seus lábios estavam relaxados de novo, um testemunho dos anos de aprendizagem nas mãos de sua aia.
As mulheres tinham que saber controlar-se muito mais do que os homens, pois, naquele mundo que lhes havia tocado viver, seus destinos estavam em mãos de seus maridos.

OS McJames



A Outra -

Inglaterra, 1578.

Unidos pelo destino

Para assegurar o futuro de seu clã, Brodick McJames precisa se casar. E Mary Stanford, filha de um conde inglês, é a escolha perfeita! Brodick nunca viu sua noiva, mas isso é irrelevante, pois tudo o que ele quer é uma mulher que lhe dê um herdeiro. Ao descobrir que está prometida a um homem a quem não ama, Mary decide mandar a meio-irmã Anne em seu lugar..

A mulher que chega a Alcaon é bem diferente do que Brodick esperava, e a paixão que floresce entre eles promete mais do que um simples casamento de conveniência. Enciumada ao perceber a felicidade da irmã, Mary fará de tudo para desfazer a troca...

No entanto, quando o destino aproxima um homem e uma mulher apaixonados, é preciso muito mais do que um plano para separá-los...





2- A ESCOLHA






Cullen Mcjames não permitirá que sua honra seja manchada, muito menos pelo inimigo de seu clã, lorde Erik McQuade.
Por isso, quando McQuade declara, no tribunal, que Cullen roubou a virtude de sua filha, ele decide roubar a filha propriamente dita...

Desde o casamento de seu irmão com uma mulher maravilhosa, Cullen tem pensado seriamente em encontrar uma esposa também.
Além disso, uma união por matrimônio poderia acabar de vez com aquela rixa entre os dois clãs.
E bastou olhar uma vez para Bronwyn McQuade para que ele sonhasse com ela a semana inteira...
Bronwyn, porém, não cederá tão facilmente.
Ela se recusa a ser punida por algo que não fez, mas também não está nem um pouco disposta a conviver com o rancor de sua família.
Por mais charmoso e corajoso que seja Cullen, ele ainda tem muito que aprender sobre a personalidade feminina e a determinação de uma mulher.
No entanto, como Bronwyn está prestes a descobrir, ele também tem muito a lhe ensinar...

A LADRA E O CONDE



A Ladra e o Conde - Inglaterra

Uma mulher como poucas...

Kate estava acostumada ao lado mais cruel da vida. Criada num orfanato, ela sobreviveu como batedora de carteiras nas ruas de Londres. Por isso, quando seu mundo colidiu com o dos ricos numa tentativa frustrada de assalto, ela se preparou para nada menos que a prisão. Em vez disso, porém, viu-se alvo da bondade e gentileza de um homem muito rico... e descobriu-se desejando seu coração...

Quando Alec Breckridge decidiu ajudar aquela encantadora menina de rua, não imaginava que se sentiria tão atraído, e muito menos que fosse ele quem teria de conquistar a confiança dela. Agora, à medida que um perigoso segredo ameaça separá-lo de Kate, ele arriscará qualquer coisa para provar seu amor à mulher que roubou seu coração... Uma mulher como poucas...

AMOR PERFEITO




Amor Perfeito -


 Londres, 1817

Ela procurava um noivo... Ele procurava o amor...

Uma inesperada reviravolta transforma a vida interessante da filha de um arqueólogo. De uma hora para outra Rose se vê responsável por suas insubordinadas irmãs mais novas e no dever de salvar a família da ruína financeira. A única solução é encontrar um homem rico que se sinta atraído por sua beleza e personalidade cativante e que esteja disposto a se casar. Mas enquanto Rose se concentra em encantar um atraente lorde, outro rapaz espera, na sombra, pela oportunidade de entrar em cena. O jovial e divertido Charles de repente se transforma em um cavalheiro sério e responsável, pronto para conquistar a mulher dos seus sonhos. Mas antes ele precisa impedir que um impertinente vilão a desvie do caminho, e então aguardar o momento mágico em que a encantadora Rose o verá com outros olhos... assim que ela descobrir o significado do verdadeiro amor!

PERIGOSA ATRAÇÃO




Londres, século XIX



Os mistérios do amor

Vivian preferiria mil vezes aproveitar as horas perdidas nos salões de baile para dedicar-se ao manuscrito de seu livro. Até o dia em que seu olhar foi atraído pelo de um homem que a impressionou por seu charme másculo, sorriso sedutor e a misteriosa aura de perigo.

De fato, os rumores não tardaram a chegar aos ouvidos de Vivian: Lorde Winter era tido por todos como um homem implacável e sem coração, amargurado por uma desilusão amorosa, e que tirara a vida do próprio irmão para herdar seu título. Era perfeito para caracterizar o herói... ou o vilão... do romance que Vivian escrevia em segredo. Embora nenhum dos dois admitisse a atração que sentiam um pelo outro, não conseguiam ficar muito tempo afastados. Nem mesmo quando se viram envolvidos numa teia de escãndalo, intriga... e uma perigosa e irresistível paixão!